Rose Sathler - Guia do Cliente
22764
page,page-id-22764,page-child,parent-pageid-22762,page-template-default,ajax_updown,page_not_loaded,,select-theme-ver-2.7,wpb-js-composer js-comp-ver-4.5.3,vc_responsive

Guia do Cliente

O que é um corset ou espartilho?

“A palavra corset deriva do francês antigo cors – um diminutivo da palavra latina corpus ou corpo.” Lesley Scott.

 

Corsets consistem em peças de vestuário cujo uso é destinado à parte superior do corpo. Tradicionalmente confeccionados em tecido, podendo conter uma ou várias camadas, são estruturados com diversas barbatanas (hastes em aço inox próprias para uso ortopédico) e ajustados por meio de ilhoses (orifícios com borda metálica por onde passa a amarração das costas), a fim de proporcionar alteração na silhueta natural do corpo humano.

Como surgiu o Corset? Qual é a sua historia?

Como surgiu o corset? Qual é a sua história? Apesar de várias civilizações da antiguidade terem o hábito de demarcar a silhueta com faixas ou acordoamentos, o corset teve seu desenvolvimento efetivo a partir do século XVI, durante a dinastia Tudor, e no período Elizabetano. A silhueta dos espartilhos até o período Georgiano no século XVIII foi cônica, as peças terminavam na cintura e não cobriam a região dos flancos.

 

A silhueta de Ampulheta foi introduzida no período Vitoriano e permaneceu até 1900. No período Eduardiano a concepção extremamente recatada e frágil da mulher vitoriana começava a ser substituída por uma versão mais madura e ativa, exigindo maior mobilidade e uma postura de peito aprumado. O corset passa então a ter frente plana – e a forma de ampulheta é deixada para trás.

 

Após 1914, o estilo de vida europeu mudou completamente devido à Primeira Guerra. A mobilidade e a objetividade no vestuário se tornam fundamentais: a silhueta feminina assume uma forma mais natural. A partir da década de 1930, o corset, como conhecemos até então, começa a desaparecer, dando lugar a peças menos estruturadas (às quais podemos associar melhor a cintas modeladoras que encontramos disponíveis hoje no mercado).

 

Em 1947 o New Look de Dior resgata a silhueta marcada e, com ela, toda a feminilidade do espartilho. Em 1980 o corset surge como peça chave nas criações de estilistas como Jean Paul Gaultier e Vivienne Westwood. Desde então, é peça sempre presente no vestuário feminino.

 

Os materiais usados na confecção dos corsets também passaram pela mesma evolução. Nos primórdios de seu surgimento, diversos elementos foram usados para oferecer a estruturação que julgavam necessária à época, tais como ferro, madeira, marfim e até mesmo barbatanas extraídas de Baleias, das quais hoje utilizamos apenas o nome. Tais materiais, associados a modelagens raramente desenvolvidas de forma anatômica, resultavam em peças muito desconfortáveis, origem do mito de que Corsets seriam massacrantes e não poderiam ser usados com conforto.

 

A corseteria acompanhou o desenvolvimento tecnológico e hoje é feita a partir de materiais modernos e ortopédicos que oferecem segurança, conforto e infinitas possibilidades para a construção de seu design, cuja importância histórica e estética é única.

Quais as vantagens de comprar um Corset sob medida?

O Corset permite a valorização dos volumes do corpo feminino, evidenciando ou minimizando pontos corporais específicos. Por isso nossos corsets são confeccionados sob medida.

 

Apenas partindo da análise das medidas de cada cliente é possível identificar quais são as necessidades reais e oferecer o melhor resultado.

 

Através de sua modelagem personalizada e estrutura diferenciada, nossos Corsets redefinem a silhueta e reduzem a circunferência da cintura, mantendo a região abdominal central completamente reta, levantando e valorizando o volume dos seios, aumentando o contraste entre o tronco e o bumbum.

 

Por um processo inverso, também é possível trabalhar com o conceito de redução de volume e oferecer total suporte à seios muito avantajados e também disfarçar os quadris, por exemplo. Tudo através de modelagens especiais e exclusivas.

 

Ou seja, a modelagem e estrutura de cada Corset desenvolvido em nosso Atelier são feitas para evidenciar as melhores características de cada uma de nossas clientes.

Como escolher o melhor modelo de Corset de acordo com o meu tipo físico?

Overbusts (Corsets que cobrem os seios):

Tenho seios pequenos, quero valorizá-los:

rs-corpo1

• Bojo push-up (com bolha) ou Overbusts Clássicos em qualquer estilo com aplicação de bojo interno e decote mais profundo.

Tenho seios grandes, gostaria de um corset que oferecesse suporte, mas sem evidenciá-los:

rs-corpo2

• Overbust sem bojo com decote coração.

Tenho seios médios ou grandes e gostaria de um corset que oferecesse suporte e também valorizasse o meu colo:

rs-corpo3

• Overbusts Clássicos em qualquer estilo e Overbusts com Bojo em qualquer estilo.

Optando por bojo push-up (com bolha) quando desejar valorizar ainda mais o volume dos seios ou quando estiver indecisa entre a numeração mais adequada e desejar um tamanho intermediário.

Bojos tradicionais (sem bolha interna) devem ser escolhidos quando desejar manter o volume mais próximo do original.

Tenho seios flácidos (pequenos, médios ou grandes) e/ou não me sinto à vontade para usar Overbusts com bojo devido ao decote:

rs-corpo4• Overbusts Clássicos com aplicação de bojo interno.

Modelos Overbusts Clássicos podem ser desenvolvidos com decotes de profundidades diversas, enquanto os decotes dos modelos Overbusts com Bojo seguem o desenho estabelecido pelo bojo pré-moldado.

Através dessa opção é possível desenvolver a modelagem de um Overbust Clássico, com qualquer estilo de decote desejado, aplicando um bojo internamente, que ficará imperceptível na superfície do corset.

A função do bojo neste caso é preencher o volume dos seios internamente.

Underbusts (Corsets que não cobrem os seios):

Tenho um corpo esguio, baixa gordura abdominal e seios médios ou pequenos:

• Underbusts com ponta superior.rs-corpo5
Ponta valoriza os seios.

• Underbust sem ponta superior.

Não interfere no volume dos seios.

• Waist Cinchers.

Tenho um corpo esguio, baixa gordura abdominal e seios grandes:

rs-corpo6

 

 

• Underbust sem ponta superior.

• Waist Cinchers.

Tenho acúmulo de gordura abdominal e seios médios ou pequenos:

• Underbusts com ponta superior. rs-corpo7
O formato superior de corsets com esta característica valoriza os seios.

• Underbusts com ponta superior, com ancas alongadas.
As ancas oferecem maior suporte para a região dos flancos.

• Underbust sem ponta superior.
Não interfere no volume dos seios.

• Underbust sem ponta superior, com ancas alongadas.

As ancas oferecem maior suporte para a região dos flancos.

Tenho acúmulo de gordura abdominal e seios grandes:

rs-corpo8

• Underbust sem ponta superior.
O formato reto ou em declive não interfere na projeção do volume dos seios.

• Underbust sem ponta superior, com ancas alongadas.
As ancas oferecem maior suporte para a região dos flancos.

 

Como tirar minhas medidas?

Informar as medidas corretamente é essencial para que seu corset vista perfeitamente e ofereça o melhor resultado para o seu corpo. Ainda que simples, esta é uma tarefa que exige atenção e dedicação.

 

Para tirar as medidas Horizontais, a fita métrica não deve estar nem apertada e nem solta.

Para tirar as medidas Verticais, a fita métrica deve permanecer esticada e não deverá acompanhar as curvas do corpo.

Você pode tirar as suas medidas sozinha em casa: basta ter consigo uma fita métrica, um espelho, algo que possa usar para demarcar a cintura (uma fitinha ou barbante) e papel e caneta para anotar.

 

Com estes materiais em mãos, basta seguir as informações e os guias abaixo, item por item. Dessa forma é impossível errar.

 

Assista ao vídeo, abaixo, e aprenda detalhadamente como tirar as suas medidas.

 

Em frente a um espelho e em posição totalmente ereta e à vontade, use uma fita simples para demarcar a sua cintura. Encontrar a posição exata da cintura é a etapa crucial para garantir que as medidas sejam tiradas com exatidão.

Para a grande parte das mulheres, a cintura corresponde ao ponto mais côncavo da região abdominal e também se localiza a mais ou menos dois dedos acima do umbigo. Mas nem sempre essas referências servem para identificá-la, já que não se aplicam a todos os casos. Portanto o correto a dizer é que a cintura se localiza no meio exato entre a última costela (das costelas falsas) e o ponto mais alto da crista ilíaca.

Marcada a cintura, amarre a fita, sem apertar, para encontrar todas as medidas. Detectadas as localizações, basta medir sua circunferência e as distâncias solicitadas entre elas:

Horizontais

Horizontal

Verticais

Vertical

Para auxiliar ainda mais, elaboramos uma tabela com uma relação média entre estatura e medidas verticais indicadas.

 

Essa relação não é uma regra: algumas pessoas têm o tronco mais ou menos alongado do que outras, e é exatamente por estarmos cientes dessas diferenças que acreditamos no processo de confecção de corsets sob medida.

 

O objetivo dessa tabela, no entanto, é direcionar o olhar para comprimentos ideais semelhantes em pessoas com a mesma estatura. As variações, quando ocorrem, oscilam discretamente entre estes padrões:

rs-tabela-medidas

Como vestir um Corset?

1) Antes de começar, certifique-se de que a amarração do corset esteja completamente esticada. Em seguida, envolva a peça em seu corpo e comece a fechar o busk, encaixando o centro dos fechos circulares nos pinos correspondentes. Caso o corset contenha Lacing Guard (painel protetor costal), posicione-o corretamente antes de iniciar o ajuste da amarração. Caso você possua nosso acessório Smart Liner não é necessário se preocupar com o posicionamento durante o ajuste da peça. Basta vestir o acessório antes de iniciar todo o processo.

 

2) Todo o ajuste do corset deve ser feito a partir dos dois elos da amarração localizados na região da cintura.

 

3) Para facilitar o ajuste e obter maior controle da pressão da amarração, não puxe os elos de uma só vez. O correto é puxar simultaneamente as extremidades inferiores e, em seguida, as superiores dos elos. Comece ajustando a parte de baixo do corset, puxando as extremidades inferiores de ambos os elos.

 

4) Proceda da mesma forma para ajustar a parte de cima do corset, puxando apenas as extremidades superiores dos elos. Essa região deve ser ajustada moderadamente para conservar o conforto no momento da respiração.

 

5) Depois de finalizar os ajustes das partes superior e inferior do corset, dê a primeira laçada com as sobras do cordão e puxe suas extremidades para concentrar e intensificar a pressão da amarração na linha da cintura.

 

6) Finalize o ajuste com um laço.

 

7) Respeite sempre os limites do seu corpo no momento do ajuste. Quando muito apertado durante o uso, o corset pode ser prejudicial à circulação sanguínea e interferir na capacidade respiratória.

 

Para te auxiliar ainda mais, preparamos um vídeo detalhando onde explicamos o passo a passo de como vestir o seu corset.

Em caso de dúvidas, entre em contato. É sempre um grande prazer atendê-la.

Como é a produção e quais são os materiais utilizados para a fabricação dos corsets?

A confecção de um corset é totalmente artesanal e passa por diversas etapas:

 

Todas as medidas são analisadas pela nossa Corsetière, que também direciona o processo de modelagem de cada peça. O molde é encaminhado para a equipe de confecção e o primeiro passo é o corte das diversas camadas de tecido que compõem o corset. Em seguida, ocorrem os processos de montagem das camadas, estruturação e então os acabamentos.

 

Após a confecção ser finalizada, o corset é criteriosamente revisado e analisado por toda a equipe e, somente então, fica disponível para a entrega. Todos os materiais usados para a confecção de nossas peças são rigorosamente selecionados ou mesmo desenvolvidos especialmente para o nosso Atelier.

Barbatanas Flat

Barbatanas Flat

Responsáveis por oferecer suporte a áreas planas do corset, as barbatanas Flat usadas em nossas peças foram desenvolvidas especialmente para o Atelier. O aço inox utilizado tem a dureza precisa para cumprir as funções referentes à sustentação corporal, respeitando a anatomia do corpo humano. A precisão de sua composição é fundamental para o conforto e resultados saudáveis. Inoxidáveis, oferecem plena segurança para a lavagem.

Barbatanas Ortopédicas (Spiral Steel)

Barbatanas Ortopédicas (Spiral Steel)

As barbatanas em espiral usadas em nossas peças têm a mesma origem das aplicadas em acessórios ortopédicos. A sua composição oferece suporte para áreas curvas da modelagem do corset, de forma resistente. Também inoxidáveis, são seguramente laváveis.

Busks com Design Exclusivo

Busks com Design Exclusivo

Em sua origem, os busks eram confeccionados em uma única peça de madeira, marfim ou osso, que servia apenas para a sustentação frontal do corset, evoluindo em seguida para um sistema de fechamento em aço que se tornaria popular a partir da década de 1850, após o advento da máquina de costura – momento em que os ilhoses de metal também são introduzidos.

Desenvolvidos pela estilista Rose Sathler, nossos busks têm design exclusivo que se caracteriza pelo fecho mais delicado do que os disponíveis no mercado. São anatômicos, práticos e totalmente inoxidáveis.

Disponíveis também na versão Preto e Banhados a Ouro.

Quais são os principais tipos de corsets?

Overbust Clássico

Overbust Clássico

Corsets Overbusts Clássicos abrangem toda a região abdominal e também a região do busto. Em sua modelagem, a curvatura do busto também é desenvolvida, contornando e acomodando os seios.

 

Modelos Overbusts Clássicos também podem conter bojo interno como opcional.

Overbust com Bojo

Overbust com Bojo

Corsets Overbusts com Bojo também abrangem toda a região abdominal e a região do busto. Em sua estrutura, um bojo é aplicado para acomodar os seios, dessa forma a curvatura do busto não é desenvolvida na modelagem do corset.

Disponível em duas versões: Bojo Meia Taça e Bojo Contour.

Midbust

Midbust

Corsets Midbusts abrangem toda a região abdominal e o meio exato do busto (a linha dos mamilos), sem cobri-los inteiramente. É um estilo de modelagem muito popular da Corseteria Histórica.

Underbust

Underbust

Corsets Underbusts abrangem e oferecem suporte para toda a região abdominal, começando pelo tórax e terminando na bacia. São indicados para a prática de Tight Lacing e por sua configuração, podem ser usados por todos os tipos físicos.

Waist Cincher

Waist Cincher

Corsets Waist Cinchers também abrangem a região abdominal, mas as suas laterais são mais curtas se comparadas com o modelo Underbust. Por este motivo, não oferecem completa sustentação para os flancos e laterais do tórax. São indicados para a prática de Tight Lacing, mas devem ser usados apenas por mulheres com baixo índice de gordura abdominal.

Todos os Corsets têm amarração nas costas?

Sim, a amarração nas costas é o mecanismo responsável por proporcionar a pressão do corset no corpo através do ajuste. Ela é uma característica fundamental da peça. Portanto, todos os modelos, impreterivelmente, têm amarração.

Como conservar o meu corset?

Antes de guardar o seu corset, estique ao máximo toda a amarração, de modo a facilitar ao vesti-lo novamente. Bojos pré-moldados tendem a amassar após longos períodos pressionados. Assim, ao armazenar Corsets Overbusts com bojo, atente para que estejam perfeitamente esticados dentro da caixa. O uso de um Corset Liner ou Smart Liner sob o corset protege a peça do contato direto com a transpiração corporal, evitando lavagens constantes. Dispense cuidado extra no manuseio de peças bordadas ou confeccionadas em Cetim, Seda e rendas sobrepostas ao tecido.

O que é Bone Casing?

Bone Casings são canais externos pelos quais as barbatanas são inseridas no corset. Geralmente são aplicados em cores contrastantes às do tecido de base da peça. Por esse motivo, configuram um recurso estético muito interessante.

 

Em termos funcionais, os Bone Casings podem contribuir para aumentar a durabilidade do corset: quando aplicados, as camadas que envolvem as barbatanas são mais numerosas e dificultam mais o desgaste da peça.

O que é Cording?

Cording é uma técnica que descende do quilting – tipo de bordado amplamente utilizado no vestuário desde o século XVIII. Consiste na inserção de um cordão em um pequeno espaço criado ao costurar camadas de tecido.

 

No quilting, a finalidade é criar desenhos por meio da textura oferecida pelo volume do cordão.

 

Além de configurar um adorno na corseteria histórica, o cording era amplamente usado para estabilizar a pressão dos painéis do corset, contribuir para a sua estrutura, oferecer maior suporte para áreas estratégicas, bem como aumentar a durabilidade da peça.

O que são Flossings?

Flossings são um tipo de bordado decorativo que, na corseteria histórica, exerciam a função de segurar as extremidades das barbatanas para garantir que estas permaneceriam na posição adequada.

 

Amplamente utilizados, os flossings apresentaram diversos formatos e estilos. Na corseteria contemporânea é utilizado apenas como elemento decorativo.

O que são Ancas Eduardianas?

As chamadas Ancas Eduardianas são uma característica da modelagem de determinados corsets que tem a região das ancas (a região lateral inferior da peça) mais alongadas do que o convencional.

 

São assim chamadas por serem herança da corseteria do período Eduardiano (1901 – 1910), quando os Corsets, assim como todo o vestuário, passaram por uma grande alteração em seu estilo vigente. Uma das características marcantes da corseteria eduardiana era o formato alongado das ancas, incomum no período anterior – o Vitoriano.

 

Na Corseteria contemporânea, as ancas alongadas são usadas para oferecer maior suporte para a região dos flancos.

O que são Painéis?

São chamados de painéis os recortes de tecido que juntos constituem um corset. Um corset tradicional contemporâneo possui uma média de 10 painéis, número que pode variar para mais ou até mesmo para menos, dependendo de seu estilo.

 

A definição dos painéis é feita durante o processo de modelagem da peça. As medidas da cliente e suas necessidades, juntamente com o estilo do corset, são determinantes para a sua elaboração.

 

Cada painel pode ser constituído por uma ou várias camadas de tecido e outros materiais. O número de suas camadas depende basicamente da proposta do corset. Algumas peças podem conter apenas uma camada de tecido ou outro material por painel. Neste caso, devem ser avaliadas a resistência do material e a necessidade da inserção de reforços que cumpram a função de tornar o corset durável.

 

Um corset com muitas camadas por painel não é necessariamente superior a um corset com poucas camadas por painel, e vice-versa. A sua sustentação, resistência e durabilidade dependem de uma série de fatores.

Como lavar o Corset?

Para corsets básicos confeccionados em tecidos 100% algodão, ou tecidos sintéticos, utilize as informações abaixo:

 

1º) Lave os corsets separadamente.

 

2º) A lavagem deve ser feita em um dia de muito sol e preferencialmente em tempo quente.

 

3º) Encha um recipiente com água e adicione metade de uma tampa de sabão líquido (de preferência para roupas delicadas). Dissolva totalmente o sabão na água.

 

4º) Mergulhe o corset na água de sabão e esfregue levemente a peça com as mãos abertas. Não concentre força em um ponto específico da peça. Os movimentos devem ser sempre muito leves e delicados.

 

5º) Enxágue muito bem o corset em água limpa até não restar resíduos de sabão.

 

6º) Encha uma bacia com água e acrescente 1/4 da tampa de amaciante para roupas concentrado.

 

7º) Mergulhe o corset algumas vezes na água com amaciante.

 

8º) Enxágue novamente em água limpa sem deixar resíduos.

 

9º) Não torça o corset, apenas aperte levemente para tirar o excesso de água. Não aperte/amasse o bojo.

 

10º) Deixe secar à sombra.

 

Peças em couro não podem ser lavadas. Utilize um pano seco para higienização.

 

Evitar lavagens de peças com bordados e rendas.

 

Algumas peças específicas não devem ser lavadas ou exigem muito cuidado ao fazê-lo. Para se certificar de que sua peça pode ser lavada com segurança, entre em contato.